HIPOCONDRIA (Transtorno de Ansiedade de Doença)

E aii, quem já ouviu algumas expressões do tipo, “Para de procurar doença, tá inventando, isso é coisa da sua cabeça, quem procura doença acha ein” ?

Pois é, afinal, quem nunca cismou ou conhece alguém que teima estar doente, mesmo sem apresentar nenhum sinal visível de enfermidade? Vamos falar um pouco sobre isso.

A hipocondria é uma doença classificada no DSM V (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais), como um tipo de transtorno de ansiedade, que leva o paciente a adquirir uma preocupação em excesso em ter uma doença grave que não foi ou não consegue ser diagnosticada, e gera muito sofrimento. A preocupação do paciente com sintomas físicos é muito maior do que o “normal”, quer exista um diagnóstico ou não.

Os pacientes não simulam doenças, acreditam que o sintoma corporal ou sensações que sentem são provenientes de uma doença grave e quando encontram pessoas que não acreditam, ficam ainda mais ansiosos. Pacientes hipocondríacos, precisam do conforto de familiares e médicos que esta tudo bem, ainda que esse conforto seja de curto prazo, por isso é importante o tratamento.

A pessoa passa uma grande parte do tempo conferindo seu corpo, procurando novos sinais, concentrando uma atenção exagerada ao seu corpo e por conseqüência apresentam muitos pensamentos distorcidos, catastróficos, sempre pensando o pior.

Essa é a visão que as pessoas geralmente tem quando se fala em Hipocondríacos.

De fato, tem aqueles que tomam remédio em excesso, quando sentem uma pontada de leve na cabeça, já imaginam que vai ter uma crise de enxaqueca, ou sentem um pigarro na garganta e já tomam antiflamatórios, sempre tem uma bolsa de remédios de emergência, para evitar que ”o quadro da doença piore”. E essa é uma estratégia de enfrentamento que esses pacientes encontram, e como já mencionei, também funciona por um curto período também. Mas não ocorre em todos os casos.

Causa e Consequências:

Existem várias possibilidades de causa, mas não existem estudos que comprovam ao certo a causa do desenvolvimento da doença, sabe-se que,  atinge de maneira igual para homens e mulheres. Alguns estudos estão tentando esclarecer a relação da hipocondria e do Transtorno de pânico, como uma possível comorbidades, que em muitos casos estão associadas.

Acredito que com o fácil acesso a internet, tem aumentado mais o número de pacientes com essa doença, ou tornado mais visível, devido às buscas por sintomas de doença, os pacientes são muito mais instruídos e esse é um dos fatores que também colaboram para a teimosia na busca de especialistas. Quando os médicos avaliam o relato e os exames médicos e não encontram nenhum indício de doenças, levam os pacientes a questionarem o conhecimento do médico e buscam outro profissional.

Tem casos que os pacientes se submetem a situações desnecessárias, durante a investigação do seu caso médico. Podem ser submetidos a exames médicos delicados, invasivos, há casos de pacientes que fazem a ter cirurgia investigativa, sem falar nos custos, valor de consultas, exames, remédios.

Alguns casos, os pacientes acometidos vivem destinado a doença, não sente prazer em sair, porque fica constantemente pensando na doença, pode gerar impacto nas relações, que não validam a sua dor e ou se cansam de tanta reclamação ou comportamentos disfuncionais.

Tratamento em psicoterapia

A Psicoterapia é um dos principais tratamentos recomendado, os pacientes chegam muitas vezes sensíveis ao consultório, devidos as inúmeras conseqüências das doenças, ao descrédito dos médicos, familiares e amigos, com várias crenças distorcidas, alguns passaram por tratamentos hostis de médicos e alguns casos os pacientes estão tão fragilizados ou ainda não se deram conta da doença, e a rede de apoio que precisa estar atenta para indicar o tratamento psicológico.

A abordagem Terapia Cognitivo Comportamental é um das mais indicadas para tratamento da hipocondria, por mostrar sua eficácia no tratamento. Na terapia, o psicólogo pode diagnosticar baseado nos critérios do DSM V e ajuda o paciente a reconhecer sua condição, as causas de seu comportamento ansioso e aprender a lidar com ele de maneira mais saudável.

A psicoeducação é de extrema importância, pois busca elucidar o conceito, sinais e sintomas da hipocondria. O paciente também passa a reconhecer as crenças e os sentimentos que alimentam o problema, para depois adotar padrões de pensamento mais realista e comportamento mais saudáveis.

O foco do tratamento não estará naquilo que o paciente sente, mas em como sente, como interpreta e se expressa, diante dos sintomas.

* Evite a automedicação, procure um profissional adequado.

1 comentário


  1. Amei o conteúdo. É uma doença muito delicado, as pessoas recusam buscar ajuda

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *